Introdução

Este ano vamos rezar o Setenário de Nossa Senhora das Dores pelas Juventudes e em sintonia com o IV Congresso Vocacional Nacional que acontecerá de 05 a 08 de setembro em Aparecida SP, com o tema “Vocação e Discernimento” e o lema “Mostra-me, Senhor, os teus caminhos!” (Sl 25,4).

Inspirados pelas palavras do Papa Francisco na EXORTAÇÃO APOSTÓLICA PÓS-SINODAL, CHRISTUS VIVIT, somos chamados a escutar e acompanhar a realidade dos jovens desta nova geração. Jovens marcados pelos desafios e belezas desta “mudança de época”.

Neste Setenário, contemplando as Dores de Maria, somos convidados a “descer à realidade para “ver e escutar” a pluralidade das Juventudes no contexto atual e escutar o grito que nasce no coração dos jovens que não suportam as injustiças e não desejam inclinar-se à cultura do descarte, nem ceder à globalização da indiferença.” (SÍNODO DOS BISPOS, os jovens, a fé e o discernimento vocacional: Documento preparatório. Documentos CNBB, 33

Unidos à Igreja do Brasil neste IV Congresso Vocacional Nacional vamos entoar o Hino:

  1. Mostrai-me, ó Senhor, vosso caminho. / E fazei-me conhecer a vossa estrada. / Porque sois o Deus amigo, /Porque sois o Deus irmão, / Vós que sempre estais comigo, amo a minha vocação!

Um passo à frente levante a cabeça / contemple o infinito ao seu redor. / Há muitos operários sem missão. / E passo a passo, estenda suas mãos. Desfaça a incerteza e o temor / é hora de uma grande decisão!

  1. Mostrai-me, ó Senhor, a vossa face, / fazei-me contemplar vossa beleza. / Porque sois o Deus da vida. / Sois o Deus da criação. / Sois o Deus que me convida. / Sois o Deus de coração!

Um passo à frente levante a cabeça…

  1. Mostrai-me, ó Senhor, vossa bondade/ e fazei-me conhecer a salvação. / Porque sois o Deus clemente. / Porque sois o Deus amor, / porque sois o Deus presente/Sois o Deus que me chamou!

Um passo à frente levante a cabeça…

Porque é hora, é agora/ É a hora de uma grande decisão. / Pois, Deus espera, Deus espera / Deus espera pela minha decisão. Porque é hora, é agora, é a hora de uma grande decisão.   Pois, Deus espera, Deus espera/Deus espera pela sua decisão!

Deus espera pela minha decisão! Deus espera pela sua decisão!

Saudemos a Santíssima Trindade:

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém!

  1ª Dor : Maria acolhe em seu coração a profecia de Simeão

 Ao rezar essa Dor recordemos as profecias que as Juventudes escutam hoje, profecias como: falta de oportunidade no mercado de trabalho, falta de políticas públicas….

Canto: Deixa-me ser jovemJosé Luiz Rizzieri

Deixa-me ser jovem não me impeça de lutar, pois a vida me convida a uma missão realizar!

1.Deixa-me ser jovem, ser livre pra sonhar, não reprima, não reprove o meu jeito de amar!

2.Fazer também a história, e não ser ignorado, preservar os meus valores e não ser massificado!

3.Muitos jovens sem saber, esbanjaram sua idade, alterados se entregaram aos dragões da sociedade!

4.Quero ser considerado como um ser filho de Deus,

realizar os meus anseios, cada vez sendo mais eu!

A: “Simeão disse à Maria: Eis que este menino vai ser causa de queda e elevação de muitos em Israel, será um sinal de contradição; quanto a ti, uma espada de dor te transpassará a alma”. (Lc 2, 34-35)

L1. Como Maria guardemos em nosso coração a dor calada das Juventudes que se sentem excluídas do banquete da vida

L2. No mundo de hoje, cheio de progressos, muitas vidas estão expostas ao sofrimento e a manipulação.

L3. Muitos jovens, por causa de sua profissão de fé, são vítimas de vários tipos de perseguições, chegando à morte.

L4. Rezemos pelas Juventudes que em meio aos desafios, colocam suas vidas a serviço de uma Igreja em saída e de uma sociedade mais justa, humana e fraterna.

A: A juventude é uma fase que é chamada a projetar-se para a frente sem cortar suas raízes, a construir sua autonomia, com a nossa contribuição. O Papa Francisco fala diretamente aos jovens: “Arrisquem mesmo que se equivoquem. Não sobrevivam com a alma anestesiada, nem olhem o mundo como se fossem turistas. Façam barulho! Eliminem os medos que os paralisam para que não se transformem em jovens mumificados. Vivam! Entreguem-se ao melhor da vida! Abram a porta da gaiola e saiam para voar! Por favor, não se aposentem antes do tempo.” (Christus Vivit, n° 143)

  1. Quais desafios nossa juventude enfrenta hoje?

(Reflexão e partilha)

A: Nossa missão junto aos jovens é encorajar, dar suporte, ser presença significativa, ajudar a libertar. Rezemos por todas as Juventudes para que tenham coragem de enfrentar os desafios que lhes são impostos.

Rezar: 1 Pai Nosso, 7 Ave-Marias e 1 Glória ao Pai.

Oração:

Santa Maria, Mãe de Deus e nossa Mãe, confiamos a vós os jovens de todo o mundo para que, impulsionados pelo Espírito Santo, queiram ser como vós.

Imploramos vossa proteção sobre todos eles e sobre todos nós de modo que possamos ser autênticos discípulos e missionários para que o Reino da justiça e da paz que teu Filho inaugurou com a primeira vinda se expanda por toda a terra. Amém!

Canto final a Nossa Senhora (a escolha)

2ª Dor: A fuga para o Egito

Juventudes que fogem da sua pátria em busca de uma vida melhor

Canto:  O Mesmo Rosto – Jorge Trevisol

Dizem que o sol, deixou de brilhar. Que as flores mais belas não perfumam mais. Os jovens teriam deixado de amar. De crer na esperança de poder mudar. Que as lutas e os sonhos o vento espalhou. E que envelheceram as forças do amor.

Se fosse assim que digam vocês, de quem é o rosto que ainda sorri. De quem é o grito que nos faz tremer, defendendo a vida, o modo de ser. De quem são os passos marcados no chão, unindo o compasso de um só coração.

Enquanto existir um raio de luz. E uma esperança que a todos conduz. Existe a certeza, plantada no chão, Ternura e beleza não acabarão. Pois a juventude que sabe guardar, do amor e da vida não vai descuidar.

O rosto de Deus é jovem também, e o sonho mais lindo é ele quem tem. Deus não envelhece, tampouco morreu, continua vivo no povo que é seu. Se a juventude viesse a faltar, o rosto de Deus iria mudar.

A: “O anjo do Senhor disse em sonho a José: Levanta, toma o menino e sua Mãe, foge para o Egito e fica lá até que eu te avise. Pois Herodes vai procurar o menino para matá-lo. Levantando-se, José tomou o menino e sua Mãe e partiu para o Egito.” (Mt 2, 13-14)

L1. Como Maria e José enfrentaram os perigos da viagem, o desconforto em terra estranha, para defender a vida de Jesus, tenhamos também coragem e audácia para defender a vida ameaçada onde ela corre perigo ainda hoje.

L2. “Os jovens que migram experimentam a separação de seu próprio contexto de origem e muitas vezes vivem um desenraizamento cultural e religioso. A ruptura também diz respeito às comunidades de origem, que perdem os elementos mais vigorosos e empreendedores, e às famílias, em particular quando um dos pais migra ou ambos, deixando os filhos no país de origem”. (Christus Vivit, n° 93)

L3. Ninguém quer largar sua casa, seus pais, suas amizades, seus costumes e sua vida. Infelizmente muitos jovens são obrigados a fazer isso, e fazem na esperança de realizar seus sonhos, mas na realidade, encontram muitos desafios.

L4. “Não deixes que te roubem a esperança e a alegria, que te droguem para te usar como escravo de seus interesses. Atreve-te a ser mais, porque teu ser importa mais que qualquer coisa. Não te serve o ter ou o aparecer. Podes chegar a ser o que Deus, teu Criador, sabe que és, se reconheces o muito a que és chamado. Invoca o Espírito Santo e caminha com confiança para a grande meta: A santidade. Assim não serás uma fotocópia. Serás plenamente tu mesmo.”  (Christus Vivit, n° 107)

  1. Temos acompanhado as notícias da realidade da migração? Conhecemos algum jovem migrante? Como estamos acolhendo a juventude migrante?

(Reflexão e partilha) 

Rezemos essa Dor por todas as Juventudes migrantes, pedindo a intercessão de Nossa Senhora das Dores para que encontrem apoio e acolhida.

Rezar: 1 Pai Nosso, 7 Ave-Marias e 1 Glória ao Pai.

Oração:

Maria, aceitando ser a Mãe do Salvador, vos tornastes mãe da família migrante: visitastes Isabel para servi-la, fostes a Belém para Jesus nascer, fugistes ao Egito para Jesus salvar, voltastes a Nazaré para Jesus crescer.

Maria, Mãe dos Migrantes, abençoai os vossos filhos e filhas que andam à procura de uma pátria ou lugar que lhes dê uma casa para viver e um trabalho para sustentar a família.

Maria, Mãe dos Migrantes, iluminai-nos neste andar à procura dos bens materiais para que, a exemplo da Família de Nazaré, encontremos o caminho que nos conduza à verdadeira Pátria, a casa de Deus Pai.

Amém

Canto Final a Nossa Senhora (a escolha)

3ª Dor: Maria procura Jesus perdido no Templo

Canto: Caminheiro –   Astúlio Nunes

  1. Perdido, confuso, vazio, sozinho na estrada tentando encontrar um caminho que seja o meu, não importa se é duro, eu quero buscar.

Caminheiro, você sabe, não existe caminho. Passo a passo, pouco a pouco e o caminho se faz.

  1. Iguais, são todos iguais, ninguém tem coragem sequer de pensar. Será que ninguém é capaz de sentir esta vida e com ela vibrar? Será que não vale a pena ariscar tudo, tudo e a vida encontrar?

A: “Voltando da Páscoa, Jesus ficou em Jerusalém, sem que seus pais o percebessem. Andaram o caminho de um dia, pensando que ele estivesse na caravana entre os parentes e conhecidos, mas não estava. Voltaram a Jerusalém à procura e o encontraram no Templo, entre os doutores da lei.” (Lc 2, 43-45)

L1. Maria perdeu seu filho no Templo e hoje muitas mães perdem seus filhos para o mundo dos vícios e da prostituição, perdem o sentido da vida, se refugiam nos meios de comunicação, tornando-se dependentes e vazios.

L2. “Em um contexto cultural com inúmeras propostas de vida, os jovens se veem embaraçados e perdidos ao terem que pensar no futuro e fazerem opções que os conduzam à realização de seus sonhos. A rapidez das mudanças, as provocações da cultura consumista, a vivência sexual descontrolada, o acesso mais fácil a tudo que possa dar prazer não só confundem os pensamentos e sentimentos dos jovens, mas os deixam fragilizados na capacidade de discernir, escolher, investir, de se sacrificar em vista do que realmente vale a pena”.

L3. Temos a missão de ajudar a Juventude a fazer experiência de Deus para que saiba lidar com os desafios no seu dia a dia, sendo solidária, justa, fraterna, misericordiosa, amando a si e ao próximo.

  1. Estamos ajudando a Juventude a encontrar o sentido de viver? Quais os espaços que a comunidade e a Igreja oferecem à Juventude?

(Reflexão e partilha)

Rezemos essa Dor por todas as Juventudes, pedindo a intercessão de Nossa Senhora das Dores para que encontrem a sua missão de vida nesse mundo.

Rezar: 1 Pai Nosso, 7 Ave-Marias e 1 Glória ao Pai.

Oração:

Senhor, confio-te a minha juventude e os sonhos que tenho em meu coração.

Dá-me sabedoria para investir minha vida na profissão certa, e discernimento na escolha de minha vocação.

Que eu saiba ouvir o teu convite: “Vem e segue-me!” E como Maria responder: “Eis –me aqui!”

Dá-me um coração missionário atento as tuas manifes-tações e coragem para anunciar e testemunhar a tua Palavra.

Que o meu sim seja generoso e total onde Deus me chamar. Abençoa minha família, minha escola e meus amigos. Amém!

Canto Final a Nossa Senhora (a escolha)

4ª Dor: Jesus encontra sua Mãe no caminho do Calvário

As juventudes são encontradas na Cruz das desigualdades sociais como: desemprego, analfabetismo… 

Canto: Ave Maria dos oprimidos – Roberto Malvezzi

  1. Ave, Maria dos oprimidos, abre a nós teu coração. Bendito é o fruto do teu ventre que é semente de libertação.

OUVE O GRITO QUE SAI DO CHÃO DOS OPRIMIDOS EM ORAÇÃO. (bis)

  1. Santa Maria dos infelizes, das horas extras, das horas tristes.  Livra-nos todos da opressão, de toda forma de escravidão.

A: “Maria vai ao encontro de Jesus no caminho do Calvário, dor e amor se encontram nos olhares de Mãe e Filho; Jesus sofre no corpo, Maria na alma”. “Pegaram um certo Simão de Cirene, que vinha do campo, e o forçaram a carregar a cruz atrás de Jesus.” (Lc23,2)

L1. Unidos à dor de Maria, pensemos nas mães que sofrem sem poder ajudar seus filhos em seus sofrimentos e peçamos que a Mãe das Dores ajude às mães a suportarem suas dores com confiança e serenidade.

L2. A falta de oportunidade no mercado de trabalho se torna um verdadeiro calvário no caminho dos jovens, pois é exigido que tenham experiência de trabalho e qualificação profissional.

 

L3. “A taxa de desemprego entre os jovens é um escândalo. Um escândalo que pede não apenas o enfrentamento em termos econômicos, mas que deve ser encarado, e não menos urgentemente, como uma doença social, porque, no momento, nossa juventude está derrubada pela esperança quando são grandes suas fontes de energia, criatividade e intuição”. (Papa Francisco)

  1. O que estamos fazendo, ou poderemos fazer em favor dos jovens para que tenham oportunidades de desenvolverem seu protagonismo?

(Reflexão e partilha)

A- Peçamos à Mãe das Dores que interceda pelos jovens que estão oprimidos e frustrados por falta de oportunidades. Rezemos por eles e suas famílias.

Rezar: 1 Pai Nosso, 7 Ave-Marias e 1 Glória ao Pai.

Oração:

Lembrai-vos, ó puríssima Virgem Maria, de que nunca se ouviu dizer que algum dos que recorreram à vossa proteção, imploraram a vossa assistência e clamaram por vosso socorro tenha sido por Vós desamparado.

Animado eu, pois, com igual confiança, a Vós, ó Virgem entre todas singular, como à Mãe recorro, de Vós me valho e, gemendo sob o peso dos meus pecados, me prostro aos vossos pés.

Não rejeiteis as minhas súplicas, ó Mãe do Verbo de Deus humanado, mas dignai-Vos de as ouvir propícia, e de me alcançar o que vos rogo. Amém.

Canto Final a Nossa Senhora (a escolha)

5ª Dor: Maria junto à Cruz de seu Filho

  1. “Chegando ao Calvário, crucificaram Jesus… de Pé, perto da Cruz de Jesus, estava Maria sua Mãe, a irmã de sua Mãe, Maria de Cléofas e Maria Madalena. Vendo a Mãe e, perto dela, o discípulo a quem amava, disse Jesus à mãe: Mulher, eis aí o teu Filho! Depois disse para o discípulo: Eis aí a tua Mãe”. (Jo 19,25-27)

Canto: Ao pé da Cruz estavas Maria

  1. Ao pé da cruz estavas Maria, no sacrifício da Redenção. Quando Jesus, teu Filho morria, ficaste Mãe da libertação.

Fica conosco, ó Mãe de Deus, roga por nós, os filhos teus. (bis)

  1. Neste Calvário da humanidade, ó Mãe está com teu vivo amor. És solidária com tua bondade, vela por nós, ó Mãe do Senhor.
  2. Ao celebrar a vida presente, ó Mãe, teu povo aqui se reuniu. Fracos e forte, sãos e doentes, somos irmãos que Cristo remiu.

L1. Assim como Jesus foi crucificado por causa do amor, pela entrega, por defender a vida dos excluídos, ainda hoje temos muita gente que morre defendendo a vida, inclusive das Juventudes.

L2. Pensemos nas diferentes Cruzes que a juventude carrega em seus ombros, como: da doença, do abandono, da humilhação, do racismo, do preconceito, da religião e de gênero. Peçamos a Jesus que nos ajude a aproximar das Juventudes, escutá-las e acolhê-las para que as suas cruzes fiquem mais leves.

L3. Quantos santos, homens e mulheres de fé testemunham sua entrega em prol da construção de um mundo mais humano e fraterno, conscientes de que sua vida é amor, dom, sacrifício e gratuidade!

L4. “Somos desafiadas a buscar maior aproximação dos jovens, ouvindo-os, acolhendo-os e conhecendo suas reais necessidades. Precisamos ser pessoas em saída, sair de nós mesmas para, com a juventude, conquistar seus direitos de viver com mais dignidade”.

L5. Assim como Maria junto à cruz, que permaneceu firme, com coragem e confiança, a juventude é convidada a permanecer de pé acolhendo o apelo do Papa Francisco: “Ide e fazei discípulos entre todas as nações. Ide sem medo, para servir”. Não tenham medo de levar Cristo a todos os ambientes. A Igreja precisa de vocês”.

  1. A. E nós, Religiosas Missionárias de Nossa Senhora das Dores, estamos de pé, firmes, confiantes para ajudar nossa querida Juventude a sair das cruzes da violência, do preconceito, da falta de emprego, dos vícios…?

(Reflexão e partilha)

Rezar: 1 Pai Nosso, 7 Ave-Marias e 1 Glória ao Pai.

Oração:

Maria, quero chamar-te assim, Peregrina na fé, Mulher do SIM sempre renovado, Amiga de Isabel, Humilde serva do Senhor, Coração alegre e sintonizado em Deus.

Profetisa da nova humanidade, Jovem mãe de Belém,

Amada de José, Educadora de Jesus de Nazaré,

Discípula do Senhor nos caminhos da palestina,

Perseverante no seguimento até a cruz,

Protagonista de Pentecostes, Mãe da Comunidade Cristã,

Toda de Deus e tão humana. Maria. Amém.

Canto final a Nossa Senhora (a escolha)

6ª Dor: Maria recebe nos braços seu Filho morto

  1. “Ao entardecer, véspera da preparação para a Páscoa dos judeus, José de Arimateia entrou na casa de Pilatos e pediu o corpo de Jesus. Pilatos permitiu que ele o recebesse. José ajudou a retirar o corpo da cruz. Maria o recebe, em silêncio, abraça o corpo do Filho e o entrega a seus amigos para o sepultar.” (Mc15,42-48)

Canto: Maria das Dores

Maria das Dores, Maria do povo, Maria do Cristo que é nosso Senhor. Maria que é mãe desta nossa Igreja, olhai vossos filhos carentes de amor.

  1. São tantos menores na América latina, são tantos sem terra, sem pão e sem lar. São desempregados nas periferias, são tantas marias, não dá pra contar.
  2. São tantos que choram a grande violência. São tantos que sofrem discriminação. São jovens, crianças fora da escola, pedindo esmola, dormindo no chão.
  3. São tantos que vagam sem ter direção, são tantos que perdem a fé de vencer. São tantos que lutam na comunidade, pregando a verdade, imitando você.

L1. Com o sepultamento do corpo de Jesus queremos enterrar toda a injustiça excludente que tira dos jovens o direito à vida. Que em nossas ações com os jovens possamos promover a busca da justiça, da igualdade e do respeito e o direito de viver com dignidade, independentemente de suas escolhas e opções de vida.

L2. Em busca de vida digna queremos enterrar a mentalidade capitalista e o consumismo que geram desigualdades sociais, contribuindo para uma vida sub-humana.

L3. Com Maria mulher forte na fé, busquemos caminhos de ressurreição: nas famílias, nos grupos de convivências, nos meios de comunicação, entre outros.

  1. Que sinais de esperança podemos apontar para os jovens que estão conosco? Estamos olhando a juventude com um olhar de esperança?

(Reflexão e partilha)

Rezar: 1 Pai Nosso, 7 Ave-Marias e 1 Glória ao Pai.

Oração: (Papa Francisco, 21 de maio de 2013)

Maria, Mulher da escuta, abre os nossos ouvidos; faz com que saibamos ouvir a Palavra do teu Filho Jesus, no meio das mil palavras deste mundo; faz com que saibamos ouvir a realidade em que vivemos, cada pessoa que encontramos, especialmente quem é pobre e necessitado, quem se encontra em dificuldade.

Maria, Mulher da decisão, ilumina a nossa mente e o nosso coração, a fim de que saibamos obedecer à Palavra do teu Filho Jesus, sem hesitações; concede-nos a coragem da decisão, de não nos deixarmos arrastar para que outros orientem a nossa vida.

Maria, Mulher da ação, faz com que as nossas mãos e os nossos pés se movam «apressadamente» rumo aos outros, para levar a caridade e o amor do teu Filho Jesus, para levar ao mundo, como tu, a luz do Evangelho. Amém!

Canto final a Nossa Senhora (a escolha)

7ª Dor: Maria acompanha o sepultamento de Jesus 

Canto: Quando o dia da paz renascerPe. Zezinho

Quando o dia da paz renascer. Quando o sol da esperança brilhar. Eu vou cantar / Quando o povo nas ruas sorrir / E a roseira de novo florir. Eu vou cantar.

Quando as cercas caírem no chão. Quando as mesas se encherem de pão. Eu vou sonhar. Quando os muros que cercam os jardins. Destruídos então os jasmins. Vão perfumar.

Vai ser tão bonito se ouvir a canção. Cantada, de novo no olhar da gente a certeza do irmão, reinado, do povo.

Quando as armas da destruição, destruídas em cada nação. Eu vou sonhar. E o decreto que encerra a opressão, assinado só no coração. Vai triunfar.

Quando a voz da verdade se ouvir. E a mentira não mais existir, será enfim, tempo novo de eterna justiça. Sem mais ódio, sem sangue ou cobiça, vai ser assim.

A: “Os discípulos pegaram o corpo de Jesus, o envolveram com um pano de linho, com aromas, conforme o costume de sepultar os judeus. Maria acompanha tudo em silêncio…Havia perto do local, onde fora crucificado, um jardim, e ali, um sepulcro novo onde ninguém ainda fora depositado. Foi ali que puseram Jesus.” (Jo 19, 40-42 a)

L1: Que Maria nos ensine a sermos firmes na fé, serenas na dor e perseverantes no compromisso de defender a Vida das Juventudes crucificadas.

L2. A exemplo de Maria, mulher de esperança, somos convidadas a caminhar e acreditar nos jovens como protagonistas de suas vidas e histórias, pois, “tem um coração jovem quem quer construir um mundo melhor. Tem a coragem de sair às ruas para expressar o desejo de uma civilização mais justa e fraterna”.

L3. O Papa Francisco se dirige à Juventude com carinho animando-os: “Queridos jovens continuem superando a apatia e oferecendo uma resposta cristã às inquietudes sociais e políticas que se desenvolvem em diversas partes do mundo. Peço-lhe que sejam construtores do futuro, que se comprometam no trabalho por um mundo melhor.”

L4. “Jovens! Não fiquem na varanda olhando a vida, mergulhe nela. Jesus não ficou na varanda, mergulhou; não assistam à vida ‘da varanda’, mergulhem nela como fez Jesus. Sejam lutadores pelo bem comum, sejam servidores do pobre, sejam protagonistas da revolução da caridade e do serviço, capazes de resistir às patologias do consumismo e individualismo superficial”. (Christus Vivit, n°143)

  1. Nesse último dia do Setenário qual gesto concreto podemos assumir em relação à Juventude?

(Reflexão e Partilha)

  1. Vamos rezar essa Dor pedindo a Nossa Senhora, que nos ajude a construir caminhos de esperança e ressurreição para as Juventudes.

Rezar: 1 Pai Nosso, 7 Ave-Marias e 1 Glória ao Pai.

Canto final: HINO DO CENTENÁRIO DAS RMNSD

  1. Tudo começou num sonho / de amor e constante doação. Na França, terra tão distante / ardeu em fogo um coração. / E o amor se fez história / singrando os mares até o Brasil. / Foi na terra jogada a semente! Vem minha gente, vem conosco celebrar. / Que aqui nasceu uma árvore frondosa. / E os seus ramos vão então se espalhar!

Com a Mãe das Dores /de pé, junto à cruz. / Nós vamos vivendo o carisma de Madre Maria de Jesus. / Sendo solidárias /aos crucificados deste nosso mundo / em dor e aflição. Evangelizando /com zelo e amor! Missionárias no mundo, vida sem fronteiras pra Nosso Senhor!

  1. Na fonte também encontramos / aquela companheira fiel, amante da Eucaristia / é a Madre Maria Miguel. E para superar desafios / as diferenças se deram as mãos. / A “Paz” abraça a “Vontade de Ferro”! E a esperança é semeada neste chão. Depressa vem, ó Leigo Missionário. Cantar conosco, são 100 anos de Missão!
  2. E vamos evangelizando / com muita fé e humildade. Movidas pelo amor de Deus / vivendo na simplicidade. / Acolhendo a criança e o jovem / estando sempre a serviço do irmão. / Ao deficiente e ao na rua caído. / Ao presidiário a esperança levar. Na saúde e em defesa da vida. / Ao que é mais pobre e excluído encorajar.
  3. Muitos são os desafios / em todos os campos de missão. / É tanta gente abandonada / precisando de libertação. / Na escola, na taba e na estrada / e na família a Boa Nova anunciar. / Na alegria amar e servir. / Como chuva em terra seca regar. / Em toda parte como educadoras. / Com novo ardor seguir e o mundo transformar!
  4. Vem depressa, vem juventude/ não tenhas medo de sonhar/ Pois pertence ao teu coração/ em grandes ideais apostar/ Do ontem ficaram lembranças/ o amanhã não consegues tocar/ Mas está em tuas mãos o agora/ E contigo quer contar. Marcas sagradas de passos e segredos/ Só percebe quem a Ele escutar.