A Escola Vocacional tem a proposta de oferecer formação teórica e vivencial para Animadores Vocacionais, em todos os estágios, de modo a contribuir para o despertar e o cultivo da Cultura Vocacional. Com o tema “O que vocês andam conversando pelo caminho” (Lc 24, 17), de 13 a 18 de janeiro iniciou mais uma edição da Escola Vocacional em Ribeirão das Neves/BH. Promovida pelos Maristas Centro-Norte em parceria com a Universidade Católica de Brasília e a CRB Nacional, a Escola Vocacional tem como objetivo a formação de Animadores Vocacionais de forma integral e vivencial, abordando temas pertinentes aos desafios da Animação Vocacional nos contextos atuais da sociedade. Estiveram reunidos 85 participantes, partilhando experiências e sendo assessorados por especialistas que ratificaram as dimensões culturais, teóricas, práticas e artísticas, propostas pela Escola.

O primeiro dia foi assessorado por Vanessa Correia, que dialogou sobre a “Realidade sociopolítica na perspectiva juvenil”, apresentando cenários das juventudes brasileiras, a fim de inspirar práticas inovadoras e viáveis, no que tange aos processos de animação vocacional das Instituições Religiosas, contribuindo com o “despertar para vida”, elucidando as possibilidades de sentido em projeto de vida para as juventudes e suas relações com a sociedade. Os cursistas participaram de rodas de conversa sobre vocação, comunicação, ecologia integral, inteligência espiritual, minorias, política, engajamento eclesial e saúde mental. Foi uma oportunidade para os participantes aprofundarem os temas propostos, sobretudo de partilhar suas experiências de vida.

No segundo dia, o assessor Cesar Kuzma fez provocações a partir da realidade eclesial e de uma prática pastoral sobre o tema: “Ser Igreja no contexto atual”. Questionou práticas vocacionais à luz dos Documentos da Igreja e dos escritos do Papa Francisco. Ele ratificou que a Igreja é um povo que peregrina para Deus, fortalecido por uma mensagem de esperança. neste dia, os cursistas participaram de quatro oficinas: expressão lúdica e criatividade, dança circular, comunicação não-violenta e projeto de vida.

No terceiro dia foi trabalhada a temática, “Resiliência e Sentido de Vida”, tema este, assessorado por Sara Guerra que convidou os participantes a dar sentido às adversidades individuais e coletivas da vida com um olhar positivo, na Animação Vocacional e nas vocações já cultivadas. Também refletiu com o grupo, situações e questionamentos na prática diária que ratificam o sentido da vocação.

No quarto dia, o assessor Eder D’Artagnan abordou o tema Planejamento da Animação Vocacional de maneira didática e metodológica. Fez um “mapa” para reconhecer os locais em que cada participante atua. Provocou o exercício do “olhar coletivo” para desenvolver os marcos Situacional (leitura da realidade), Iluminativo (fundamentos e referenciais), Operativo (organização da ação). Essa temática fortaleceu a certeza que o planejamento requer um olhar abrangente, fazendo uma opção diante das muitas possibilidades.  Foi um dia cheio de teorias e praticas.

No quinto dia, encerrou-se esta etapa da Escola Vocacional 2020, com uma manhã de Espiritualidade e interiorização com o tema: “Jesus, modelo de animador (a) vocacional Lc 24, 13-35”. Este momento foi orientado por Irmão Márcio Costa, FMS. Rezamos e refletimos os cinco passos dados por Jesus como Animador Vocacional;

  • Ele desperta os vocacionados;
  • Ele ajuda seriamente a discernir a vocação;
  • Ele cultiva os germes da vocação;
  • Ele acompanha o processo vocacional;
  • Ele com esta animação capacita os discípulos.

Ir. Elaine Carvalho – RMNSD