Encontro Intereclesial das Comunidades Eclesiais de Base (CEBs)

Dos dias 23 a 27 de janeiro estará acontecendo o 14° Intereclesial das Comunidades Eclesiais de Base (CEBs) do Brasil, cujo tema é: “CEBs e os Desafios no Mundo Urbano” e o Lema: “Eu vi e ouvi os clamores do meu povo e desci para libertá-lo” (Ex 3,7). Após quatro anos de preparação a Arquidiocese de Londrina acolhe os delegados e delegadas chegados de todos os cantos do país. O primeiro em acolher os que vão se fazer presentes na cidade do norte do Paraná é seu arcebispo dom Geremias Steinmetz, que iniciou seu ministério episcopal na Arquidiocese há seis meses. Dom Geremias, nesta entrevista reflete sobre o tempo de preparação, sobre a caminhada das CEBs e sobre alguns aspectos que têm a ver com a vida da Igreja. Na entrevista, Dom Geremias insiste na necessidade de trabalhar em conjunto, de dialogar, de transformar a realidade, sendo conscientes que as CEBs “trabalham em vista da organização comunitária e, ainda mais, em vista da transformação social”. Não podemos esquecer que somos chamados a “construir uma cidade cada vez mais justa, fraterna, solidária. Mas isso não passa simplesmente pela oração, ou pela Eucaristia, ou não passa simplesmente pelo ouvir a Palavra de Deus, passa por criar condições e fazer com que essas questões aconteçam”. O arcebispo local reconhece que “a Igreja católica não tem ainda a presença nas periferias que deveria ter”. É preciso uma mudança na metodologia e um maior reconhecimento do papel dos leigos. Junto com isso, as CEBs têm que continuar sendo conscientes que “é vocação das CEBs ser proféticas”, devem ser conscientes de “quais as características reais de uma comunidade, se falando de um tripé, sacerdócio, batismo e a realeza, no sentido da transformação social”. Ao mesmo tempo, denuncia que “a vida nos seminários precisa ser mais realista, não é mais possível que a gente ordene Padres que não saibam trabalhar, pessoas que nunca tenham trabalhado, pessoas que não tenham verdadeira consciência de onde vêm as coisas”.

Frente a isso, o Papa Francisco, é alguém que “está constantemente jogando a bola lá na frente”. Por isso, “nós temos que correr atrás, enquanto Bispos, enquanto Igreja”, deixando de lado “estruturas que já não conseguem mais evangelizar”, apostando na missionariedade. Dom Geremias diz que o trabalho de evangelização hoje, em primeiro lugar, ele não pode ser compreendido como um trabalho isolado, especialmente quando se fala de comunidade eclesial de base, que tem sim como base o trabalho da evangelização, a Palavra de Deus, a Eucaristia, a organização da comunidade, que são esses três pilares sobre os quais trabalha a questão das CEBs. E não se esquecendo de que ela trabalha em vista da organização comunitária e, ainda mais, em vista da transformação social. O grande objetivo, é construir uma cidade cada vez mais justa, fraterna, solidária. Mas isso não passa simplesmente pela oração, ou pela eucaristia, ou não passa simplesmente pelo ouvir a Palavra de Deus, passa por criar condições e fazer com que essas questões aconteçam. Dom Geremias diz também que a Igreja Católica não tem ainda a presença nas periferias que deveria ter, e isso não só. Dom Geremias disse ainda que é vocação das CEBs ser profética. Elas têm essa veia profética muito forte e, nesse sentido, elas não pensam só as questões espirituais ou de evangelização, mas pensam com mais completude a questão profética, que é a denúncia, mas é, sobretudo, uma denúncia consequente, uma denúncia que gere prática, que produza prática na vida de uma comunidade.

Dom Geremias Steinmetz: Arcebispo de Londrina/PR

Endereço

Rua Costa Senna, nº 1.050
Padre Eustáquio
Belo Horizonte - MG
CEP: 30720-350
Email: rmnsd@terra.com.br

Telefone

(31) 3464-0458

Facebook